Galpão Gaúcho

FÓRUM GALPÃO GAÚCHO
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 SAT e Musical

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fabrício Polo



Mensagens : 10
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 26
Localização : Portão/RS

MensagemAssunto: SAT e Musical   Dom Fev 27, 2011 1:20 pm

Boa tarde tradicionalistas!

Quem esteve presente no Encontro de Patrões, Posteiros e Diretores Culturais que o MTG promoveu no 35 CTG teve uma "revelação" da srta. Odila Savaris, onde a mesma disse ser blogueira e que acompanhar a nossa movimentação na internet. E quem esteve presente também pôde ver que a questão do SAT e da nota do Musical, assuntos exaustivamente comentados e questionados pelos dançarinos, não teve muito diálogo, contanto com duas ou três opiniões no máximo por parte dos patrões. Meu intuito com este tópico é poder juntar a opinião de todos nós, dançarinos, sobre estes dois assuntos, repondendo duas perguntas simples:

1) Você é a favor que o SAT continue? Sim ou não e por quê?

2) Musical deve ser avaliado e somado as notas dos grupos? Sim ou não e por quê?

Mas, para que este tópico tenha algum valor e possa ser considerado, peço apenas para que quem for responder que realmente coloque um por quê, não somente um sim e um não. E que se identifiquem se possível, lógico! Todos gostam de conhecer as pessoas por trás das opiniões.

Meu intuito é levar para o MTG a opinião dos dançarinos, não somente dos patrões, que por muitas vezes têm uma opinião diferente do corpo de bailarinos.

Obrigado pela colaboração de todos e vamos fazer valer nossa opinião!




Fabrício Polo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pologaucho.blogspot.com
Leandro Berlesi



Mensagens : 3
Data de inscrição : 31/10/2010
Idade : 45

MensagemAssunto: Re: SAT e Musical   Seg Fev 28, 2011 7:25 pm

• A grande questão do momento é a liberação , ou não , da música nas invernadas. Como músico defendo que os musicais devam ser cada vez mais cobrados. Quanto maior a cobrança, menor a oferta de profissionais qualificados , logo:maior o valor do serviço prestado. Mas como tradicionalista e defensor da cultura gaúcha acima de tudo; defendo com afinco e muita esperança o fim da avaliação musical , nos moldes atuais.

Vejo como principais benefícios:

- os grupos de dança deixariam de ser punidos por erros cometidos por aqueles que , na grande maioria das vezes , são pagos para não errar;

- as entidades teriam oportunidade de levar seus grupos a eventos com músicos iniciantes ou com menor qualificação, mas que de alguma forma estão comprometidos com suas entidades , as mesmas seriam avaliadas pela dança , sem prejuízos alheios ao tablado;

- os músicos iniciantes seriam estimulados a acompanhar grupos de dança sem o risco de serem “punidos” enquanto buscam conhecimento e experiência capaz de equipara-los aos chamados “profissionais” ;

- aos músicos ditos “profissionais” , não haveria prejuízo real , pois aqueles que trabalham com amor , dedicação e seriedade têm o seu próprio trabalho e os resultados obtidos como indexadores do custo benefício desses profissionais na relação com os grupos, pois os grupos de dança mais organizados e focados , buscarão cada vez mais a verticalização do trabalho , exigindo de seus contratados o melhor trabalho possível com o custo que considerarem justo;

- os músicos teriam maior liberdade para criar e executar arranjos nas danças tradicionais, visando sempre , é claro , a dinâmica e funcionalidade na dança , tornando o espetáculo mais bonito e a dança mais agradável;

Mas há que se observar alguns perigos nessa suposta liberdade:
_a liberdade de criação deve ser duramente vigiada para evitar deturpações na nossa música, pois, mal comparando: Quem nunca come mel...quando come se lambuza!
_é ingênuo pensar que apenas com a liberação da música e sem o incentivo das entidades haverá uma renovação e o surgimento de novos talentos, será preciso sim um grande trabalho de renovação do pensamento tradicionalista para atrair os novos artistas para nossos galpões.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fabrício Polo



Mensagens : 10
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 26
Localização : Portão/RS

MensagemAssunto: Re: SAT e Musical   Qui Mar 10, 2011 9:36 pm

Vocês viram que as diretrizes do SAT mudaram? O mesmo agora passa a ser regional, devendo ser executado até a inscrição da inter-regional em julho. Vejam os detalhes neste link:

Mudanças no SAT

Mas a pergunta pode continuar valendo: você é a favor do SAT, mesmo nesta nova roupagem? Ou prefere que ele mesmo assim deixe de existir?

***

Vou deixar aqui minha contribuição quanto a questão do musical, pois como faço parte de Força B não necessito executar o SAT ainda:

Eu acredito que cobrar o musical do jeito que é feito atualmente sem sombra de dúvidas força o profissional que contratamos a ser o melhor possível, que não cometa erros. Mas as vezes eu acho a cobrança tão técnica que só quem têm realmente um ouvido voltado pra isso que consegue sentir mudanças muito sensíveis na música. Eu acredito que o musical deve ser avaliado até mesmo na Força B (até porque se não for os avaliadores não poderiam exigir caso a música fosse tocada totalmente errada), porém acho que o desconto deve ser menos detalhista.

Eu apoio a idéia de, por exemplo, o musical ser avaliado por sua fidelidade à partitura original, ritmo, concordância entre os integrantes do musical (não ter, por exemplo, gaita em um tom e vocal em outro) e erros de execução muito graves. Acho que o desconto extremamente detalhista as vezes deixa até o musical desenchavido porque é uma desafinada ou erro de nota tão pequeno que quem está na platéia assistindo o grupo não nota, "nem sente", e não deixa uma apresentação ruim por causa disso. Acredito que assim continua forçando o musical a ser bom no que faz, abre uma margem pra que eles trabalhem tranquilo e não deixa a invernada triste caso tome um desconto que nem eles conseguiriam sentir.

Forte abraço, e espero mais opiniões!

Fabrício Polo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pologaucho.blogspot.com
Jefferson Pacheco



Mensagens : 1
Data de inscrição : 06/07/2011
Idade : 32
Localização : Gravataí/RS

MensagemAssunto: Caros Amigos!   Qua Jul 06, 2011 6:32 pm

[b][i]Em relação ao fim das avaliações de musical para rodeios abrangindo até o ENART, acredito que seja uma grande e equivocada decisão, pois:

* Infelizmente alguns músicos já tiverão a infelicidade de "sujar" a imagem das danças tradicionais um tempo atrás, destorcendo todo sentido poético e cultural, quando lhes foram dadas as oportunidades de não serem avaliados, acredito que isso fatalmente acontecerá;

* Concordo com o meu grande colega Leandro, que também implicaria esta liberdade de execução musical para nós adecuarmos arranjos devidamente concordantes conforme a partitura original e o surgimento de um espaço maior para novos talentos interessados no nosso folclore e cultura tradicionalista:

* Acredito que essa história de monopólio de músicos no RS não é correta, pois todos tem liberdade de escolha (grupos e entidades), sabendo qual trabalho seria mais apropriado para tal, porém molopólio será se fixar essa proposta de músicos por RT's, não podendo atuarem em mais de uma, ai sim seria de fato uma falta de ética conosco.

* Digo por mim, que sou estudante da história do RS para meus trabalhos de composições de temas de coreografias e arranjos nas danças, que seria ótimo ter mais liberdade de expressão, mas acho que deveria existir uma avaliação musical quanto a sua execução condingente as danças, porém eliminando teoria musical no que diz respeito a valores e durações, pois nem mesmo os músicos iniciantes que não tenham conhecimento teórico de música, poderiam seguir o CD do MTG, pois não batem com a correção da partitura do mesmo:

* Aliás sofremos um pouco com alguns avaliadores que sentam em frente as mesas de avaliação e sugerem descontos quanto a métrica do canto solfejo, apartir da partitura do MTG, sendo que na verdade estão preocupados em gostos musicais com ou sem vibrato, impostação e inflexão, como se existisse um modelo de voz e interpretação para nossas danças tradicionais.... Falta sentiriam do timbre do Leandro assim como o meu ( um Agudo e outro Grave), isso é que embeleza a apresentação.

Abraço a todos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maria Prenda



Mensagens : 1
Data de inscrição : 06/10/2011

MensagemAssunto: Re: SAT e Musical   Qui Out 06, 2011 3:39 pm

Infelizmente, o papel do verdadeiro tradicionalista está se perdendo... Hoje vemos no ENART apresentaçoes maravilhosas, mas que estao deixando esquecidas nossas verdadeiras raizes...
O SAT é um prjeto que obriga os dançarinos (não tradicionalistas) a fazerem algum bem para a sociedade...e por isto acho válido...
Quanto aos musicos, acho um besteira eles participarem, ja que muitos CTGs compartilham os conjuntos vocais...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
goleiro bruno



Mensagens : 11
Data de inscrição : 15/03/2012

MensagemAssunto: Re: SAT e Musical   Ter Abr 24, 2012 2:18 pm

eu acho que o musical prejudica o grupo de danças quando é avaliado e somado a nota do grupo de danças, acredito que o musical tenha que ser avaliado e premiado separadamente, assim como entrada saida;
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: SAT e Musical   Hoje à(s) 2:02 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
SAT e Musical
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Divulgação musical
» Espaço Musical - Discuta sobre música!
» sonic e tails o musical
» Arte Musical - ThePianoGuys
» ALEMANHA DDR - ERRO DE IMPRESSÃO NA PARTITURA MUSICAL - 1956!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Galpão Gaúcho :: Invernada Artística - DANÇAS :: ASSUNTOS GERAIS-
Ir para: